nome para site branco transparente-01.pn

Para Transformar o Corpo em Dança

"PARA TRANSFORMAR O CORPO EM DANÇA" É UM PROJETO ARTÍSTICO DURACIONAL / DE LONGA DURAÇÃO

fase 1 - casa

O primeiro assunto foi a "casa/lar". Em dezembro de 2018, deixei minha casa em São Paulo (BRA) e me mudei para o Espaço Transformando, na ilha de Florianópolis, Brasil. O que começou como uma pesquisa em site specific se revelou como uma pesquisa baseada nas artes e engajada em comunidade. O lar não era a casa física, mas também não era o corpo sozinha.

Então comecei a explorar ambientes de habitação artística como uma experiência coletiva criativa. Em uma residência artística itinerante, estive em residências artísticas, comunidades e casas de artistas e ateliês entre a América do Sul e a Europa. Experiências de atenção ampliada e práticas de movimento fizeram parte de meu repertório pessoal, explorando princípios da Somáticas, Contato Improvisação, técnicas de improvisação de Klauss Vianna, treinamentos psicofísicos e Eutonia.

 

Em cada experiência, explorei meu próprio corpo em relação à nova "casa" em termos de auto-reconfiguração e comunicação. O morar, e suas instrínsecas implicações sociais, trouxe questões como diferença, (im)permanência, imigração, violência doméstica, trabalho doméstico e propriedade privada. Performances de dança, instalações, oficinas, entrevistas e rodas de conversa fizeram parte do projeto entre 2018 e 2020.

A primeira fase do projeto acabou com uma jam online em Agosto de 2020 após 600 dias. Em plena quarentena, a hashtag #fiqueemcasa fechou a minha pesquisa pessoal. Agora ela era de todos nós. 

flyer DEBORA.jpg

NossaJam #23

Facilitação de jam online

Projeto idealizado por Pao Francez

Agosto 2020

Cidades final letras em branco-01-01.png

fase 2 - trabalho

A segunda fase do projeto Para Transformar o Corpo em Dança começou em 16 de setembro de 2019 e está em processo desde então. Estou agora pesquisando sobre "trabalho".

O "trabalho" se divide em duas ações: uma é como artistapesquisadora no mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Dança da UFRJ, investigando a relação entre a formação de Gerda Alexander e a transdisciplinaridade da Eutonia.

 

A segunda ação é como eutonistartista no movimento entre espécies. Questões como antropocentrismo, movimento entre espécies, bem-estar animal, direitos trabalhistas, cruzamentos entre arte e saúde, entre outras, vêm sendo elaboradas através de ações como entrevistas, workshops, sessões, palestras em congressos, e obras audiovisuais. 

Entre Espécies

Vivência temática no Espaço Mova, Rio de Janeiro

Novembro de 2022

Escolha uma música